Google+ Followers

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

A Terapia Floral e o Despertar da Espiritualidade


A Terapia Floral e o Despertar da Espiritualidade





Nos nossos tempos tão absurdamente industriais nunca se falou tanto em despertar da espiritualidade e nunca as pessoas estiveram tão inconscientes do que trata essas duas palavras! Para alguns despertar a espiritualidade é adotar uma religião, ou a crença num Deus único. A idéia de um Deus único incomoda muita gente, mas antes de tecer essa polêmica teológica sobre a existência ou não de um Deus onipresente e criador devemos entender que o conceito de espiritualidade envolve outras coisas tão complexas quanto esta. A primeira delas, por exemplo, é entendimento de que a vida não é um processo acabado, ou seja, estamos todos constantemente evoluindo e que esse fluxo evolutivo não cessa até o que podemos chamar de processo de iluminação ou elevação da consciência. Esse mesmo processo teria sido vivido pelos grandes luminares da humanidade. Cristo, Buda, Krishna, Rama, etc. E caso você se pergunte: Por que evoluir? Isso é uma obrigação?… A resposta é que evolução é uma lei natural. Todos buscamos evoluir, e toda evolução é, em última instância, uma busca por Deus. O guru indiano Osho vem nos lembrar que todos os que buscam algo muito maior que eles mesmos, como muito dinheiro, muito poder ou muito prazer sexual, estão buscando algo transcendente, ou seja, algo que transcenda a experiência humana comum. E isso é uma busca por Deus.

Outro item fundamental ao entendermos do que trata a evolução espiritual é a aceitação de que a vida não termina. Ela se transforma continuamente sempre buscando uma expressão cada vez mais elevada através de sucessivas encarnações.

Em termos digamos “científicos” a vida é energia e a energia se transforma. Para muitos o que convencionamos chamar de Deus é um grande fluxo energético que emana em todas as direções e planos, do mais denso ao mais sutil, o tempo todo, ou infinitamente. Por que a busca espiritual floresce num tempo em que a técnica, a lógica e os valores materiais predominam? Pelo simples motivo de que a espiritualidade faz parte da natureza humana, não é um valor artificial ou uma moda ao qual alguns aderem pura e simplesmente. O que ocorre é algumas pessoas despertam mais rapidamente que outras para essa realidade.

Para muitos o chamado interior poderá surgir como uma aguda crise de valores, o que costuma gerar muita angústia. O mundo concreto, porém, nos faz crer muitas vezes que um porre se cura com outro, ou que uma exaustão dos temas instintivos precisa é de mais exaltação dos instintos, o que só faz aumentar mais o vazio da alma. Talvez seja aí que as pessoas começam a procurar soluções mágicas! E não falta quem ofereça isso. Aderir a uma seita evangélica e aceitar Jesus no coração para alcançar a libertação! Um vidente que faça previsões para o futuro com data bem marcada (É só esperar!), uma magia para abrir os caminhos do amor, uma “queima de Karma” para transformar uma vida… É, tem gente mexendo com coisa séria com propósitos ou baseados na mais pura ignorância ou na maldade mesmo!  Isso por um lado, do outro lado estão aqueles que teimam em crer que uma transformação pessoal pode ocorrer sem conscientização ou comprometimento interior. Aqueles que pensam que o esforço de mudar é árduo demais, e talvez desnecessário, esses pagarão o preço ainda mais alto da decepção e do tempo perdido.




Hound's Tongue, do sistema californiano (FES), dissolvendo a percepção materialista da vida.





Custa um pouco (ou muito) para que uma consciência desperte no sentido de clarear a visão interior sobre essas ilusões! Mas afinal o que impede essa tomada de consciência? Simples: A ilusão de que a vida acontece unicamente dentro dos limites tridimensionais e a total falta de percepção de que há outros níveis de energia que se expressam no aqui agora.

Para aqueles que se dispõe a rever essa postura e sentem uma profunda necessidade de mergulhar no aspecto espiritual da vida, mas se sentem limitados por sua descrença, que por sua vez apóia-se na total dificuldade de percepção de outros planos da existência, a terapia floral pode ajudar em muito.

Algumas essências podem dar um significativo impulso inicial na abertura da percepção espiritual da vida. O floral Hound’s Tongue da Califórnia ajuda a dissolver o padrão materialista da mente egoica, propicia uma percepção mais holística, por assim dizer, da existência. Outra essência californiana muito importante é Angel’s Trumpet que ajuda aqueles que têm medo da morte a se abrir para o aspecto espiritual dessa experiência. O medo da morte leva muitas pessoas a se afastarem dos temas transcendentes. Uma outra essência floral que pode propiciar uma conscientização interessante é Cometa, do sistema Filhas de Gaia, esse floral ajuda a romper com a sensação limitadora de espaço tempo em que viemos nesse mundo tridimensional. Abre a consciência para a “multidimensionalidade do Ser e do Universo” como coloca muito bem Maria Grillo.

Diminuir o excesso de mente é por fim uma outra necessidade de quem busca uma introdução ao pensamento místico. A mente só faz perguntas, sua ânsia por formatações a faz querer uma verdade genérica que sirva a todos, e isso não existe! A verdade possui muitas faces, cada um de nós pode compreender apenas uma parte dela e a união dos nossos pontos de vista é que pode ajudar a ter um vislumbre de todo o seu corpo imenso. Para isso a humanidade teria de deixar de lado sua tendência a formar dogmas e a querer convencer o outro do seu próprio ponto de vista para apenas ouvir e tentar compreender, sem se sentir violado por isso. O floral Lírio Amarelo, do sistema floral do Sul, ajuda a diminuir o excesso de racionalismo ao qual recorremos no dia a dia, proporcionando uma abertura interior e acesso à guiança espiritual.

Essas quatro flores seriam o estágio inicial num processo terapêutico mais longo, onde as raízes do distanciamento dos temas interiores teriam de ser investigadas com mais profundidade. Considero as quatro flores antes citadas um bom pontapé inicial numa jornada rumo ao infinito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário